Receba nossas Postagens por E-mail

ORIGEM DO DIA DO TRABALHO

 


Você sabe a origem do 1º de maio (dia do trabalho)? 


Tudo começou no dia 1º de maio de 1886, na cidade de Chicago, nos Estados Unidos, quando aproximadamente 30.000 trabalhadores fizeram uma manifestação pela redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias, no Haymarket Square. A manifestação durou até o dia 4, quando uma bomba estourou na praça, matando um policial e ferindo 8, o que ocasionou uma cruel repressão, que matou dezenas de operários e capturou muitos outros.

O julgamento posterior foi completamente forjado para incriminar os manifestantes. Dos 8 condenados a morte: 3 (Michael Schwab; Oscar William Neebe e Samuel Fieden) tiveram a pena comutada (aos não-juristas, trocada) para prisão; e, outros 4 (Albert Richard Parsons; Algust Vincent Theodore Síes; Georg Engel e Adolph Fischer) foram para a forca cantando a Marselhesa, o hino da França. O último, Louis Lingg, não quis dar as autoridades o prazer de enforcá-lo e se suicidou com um pequeno explosivo na boca um dia antes da execução.


O massacre de Chicago e o martírio dos 4 operários executados causaram forte impacto na Europa. E a Internacional Socialista (a época, a maior organização internacional pelos direitos dos trabalhadores) lançou uma campanha global pela jornada de 8 horas diárias, e celebrou o primeiro de maio como data de protesto em homenagem aos eventos de Chicago. Posteriormente, convertendo-se em um feriado comemorado em quase todo o mundo.

Seis anos depois, em 6 de junho de 1893, o governador de Illinois (Estado que pertence Chicago) John Altgeld, reconheceu que os condenados à morte eram inocentes, perdoando-os (um pouco tarde para o perdão estatal...). Em 1894, se recusou a reprimir uma greve na rede ferroviária Pullman, como uma forma de tentar honrar os mártires de Chicago.

Os direitos sociais são construídos com a organização coletiva da sociedade.

Por DEMETRIUS SILVA MATOS

Bacharel em Direito pela UNDB
Pós Graduando em Ciências Políticas pela Uninter




Comentários