Receba nossas Postagens por E-mail

MITOLOGIA GREGA: DEUSAS E TITÂNIDES


MITOLOGIA GREGA: DEUSAS E TITÂNIDES



Cada sociedade, em seu tempo, destacou figuras, com traços e personalidades marcantes, para explicar o mundo na forma como era visto e entendido. Assim, surgem as diversas deusas e deuses no panteão das civilizações, guardando traços em comum apesar da diversidade cultural. Quem analisa o panteão nórdico (de Odin, Thor, Freya) encontra similitudes no panteão grego-romana e também no africano (com os orixás), apontando para uma linha comum, que podemos considerar como arquétipos da humanidade, que fazem parte de algum modo “inconsciente coletivo”.
Na semana em que o @construindo_cidadania abordou com mais ênfase a questão da violência doméstica, nada melhor do que compartilhar informações sobre as figuras arquetípicas do universo feminino greco-romano, base da civilização ocidental, demonstrando a multiplicidade e nuances de tipos de vida feminino. Os feminismos abrangem diversas abordagens como bem demonstram os arquétipos das titânides e deusas  gregas. E já apontavam que as mulheres podem ser diversas e múltiplas sem papeis preconcebidos na sociedade, mas sim de acordo com seus talentos.
Antes das deusas e deuses gregos, comandados por Zeus (Júpiter) no Olimpo, estavam presentes os Titãs...
O responsável pelo “Aconteceu na História”, neste site, também tem profunda intimidade com a mitologia e pode sintetizar as informações para despertar o interesse no aprofundamento. Confiram também os cards no nosso instagram.


TITÂNIDES:
TEIA
 Filha de Urano e Gaia, e a mais velha das irmãs. Teia era considerada a Titânide da visão, e uma vez que os gregos acreditavam que a visão era um raio emitido pelos olhos similar aos raios do sol, foi associada ao ouro e as pedras preciosas como aquela que concedia a essas coisas seu esplendor e beleza. Foi casada com o Titã Híperon, seu irmão (algo extremamente comum no panteão grego), conhecido como o Titã da luz, com quem teve os gêmeos Hélio e Selene, as primeiras personificações do sol e da lua no panteão grego.
TÊMIS
Irmã de Teia. Ficou conhecida como a Titânide da justiça, mediava as brigas entre seus irmãos e sobrinhos. Aquela representação clássica e cafona da Justiça como uma mulher cega segurando uma balança é a própria Têmis. Não se casou com nenhum dos irmãos. Segundo algumas versões, foi a primeira esposa de Zeus em uma tentativa de criar um vínculo entre os Titãs que não apoiaram Cronos e os olimpianos, o qual tiveram como filhos as Parcas, porém o casamento não durou muito.
TÉTIS
 Titânide dos rios e córregos, ou seja, da água doce. Não se sabe muito sobre ela. Se casou com seu irmão Oceano, que como devem adivinhar foi o antecessor de Poseidon (Netuno) no domínio do mar.
FEBE
Titânide da adivinhação. Conta-se que foi a primeira dos Imortais a conseguir ouvir as vozes do Oráculo de Delfos, ao qual tentava passar tais mensagens aos seus demais irmãos. Foi casada com seu Irmão Coio, que também possuía o dom da profecia. Curiosidade: Febe é a Avó do Deus Apolo, e devido a Febe ter sido a primeira a se conectar ao Oràculo de Delfos, alguns gregos chamavam seu neto de Febe Apolo.
MNEMOSINE você não leu errado, o nome é assim mesmo. Mnemosine é a Titânide da memória, ao qual não esquecia absolutamente nada ao qual foi apresentado uma vez. Servia como um registro vivo para os demais Titãs de tudo o que aconteceu. Não chegou a se casar com ninguém.
REIA
A caçula das Titânides, Reia é a Titânide da maternidade, sendo responsável pelo parto tanto das irmãs quanto, futuramente, das sobrinhas. Seu animal sagrado era o Leão, sendo comumente representada junto a dois deles. Casou-se (muitos dizem a contragosto) com seu irmão Cronos, onde deu à luz aos seis primeiros olimpianos (Héstia; Deméter; Hera; Hades; Poseidon e Zeus) sendo seu nascimento somado ao medo de Cronos a causa da queda dos Titãs e a ascensão dos olimpianos, ao qual falaremos de suas mulheres agora.
DEUSAS
HÉSTIA
Primogênita de Cronos e Reia e a primeira Deusa do Cosmos segundo os gregos (e também a pobre infeliz que foi a primeira em ser devorada pelo pai). Héstia era a Deusa do lar e da lareira, sendo a responsável por manter o fogo acesso no Monte Olimpo. Todas as cidades gregas tinham uma lareira central que ficava sobre a proteção de Héstia; os enviados e visitantes de outras cidades sempre chegavam a lareira primeiro, para mostrar que vinham em paz. Héstia nunca se casou com ninguém.
DÉMETER
 Deusa do trigo e da agricultura. Responsável por garantir que as plantações humanas sempre continuassem a crescer. Dizem que quase matou o mundo de fome quando Hades sequestrou sua filha Perséfone para tomá-la com sua esposa como forma de coagir Zeus a trazê-la de volta. Para nossa sorte (ou azar, dependendo do ponto de vista) a briga familiar que quase destruiu o mundo foi resolvida de outra forma. Deméter nunca chegou a se casar com ninguém.
HERA
Deusa da família e do casamento, sendo a esposa oficial de Zeus, ao qual a traia sempre que pudesse para seu desgosto (e justamente por ser a deusa do casamento, não podia se vingar de Zeus na mesma moeda). Ficou muito conhecida na mitologia por arquitetar vinganças terríveis contra as amantes e filhos de Zeus (como se eles tivessem alguma culpa).
ATENA
 Deusa da sabedoria e do conhecimento. Filha de Zeus, nascendo do crânio rachado de seu pai (essa história é muito bizarra e longa para ser comentada nessa ocasião). Para além da sabedoria, também era a Deusa da Guerra (ao menos da parte estratégica e tática, deixando a parte violenta para seu sanguinário irmão Ares) e da tecelagem, ensinando aos mortais a como tecer roupas e tapetes (inclusive, segundo os gregos, as aranhas apenas existem devido a uma pequena disputa entre Atena e uma tecelã orgulhosa, se estiverem curiosos busquem pela história de Ariadne). Nunca chegou a se casar com ninguém.
AFRODITE
 Deusa do amor e da beleza. Foi a última filha de Urano, nascendo de seu saco castrado que Cronos jogou no oceano (não me perguntem de onde os gregos inventavam essas histórias). Dizem que, ao contrário das demais deusas, não possuía uma aparência fixa: cada um a via como a mulher mais bela que poderia imaginar. De modo a evitar uma guerra civil entre os Deuses que pediram sua mão em casamento, Hera a forçou a se casar com seu filho Hefesto, que era o Deus mais feio em relação ao aspecto físico, justamente para que nenhum outro Deus se sentisse derrotado nessa “disputa”. Algumas versões contam que, após Hefesto descobrir que Afrodite o traía com Ares, exigiu e obteve o divórcio.
ARTÊMIS
 Deusa da caça. Filha de Zeus, tinha como irmão gêmeo Apolo. Ela dizia com orgulho que jamais iria se casar, fazendo um voto de castidade eterna. Montou um grupo de caçadoras formada por ninfas e mulheres mortais (que faziam o mesmo voto que ela), onde se dedicavam a caçar tanto animais ferozes quanto monstros da mitologia por todo o mundo grego. Conta-se que muitas mulheres para evitar se casarem forçadamente faziam o voto para se unirem as caçadoras, pois qualquer homem que ainda assim as obrigasse a se casar estaria atraindo a Irá da Deusa. Para além da caça, Artêmis também era a Deusa da lua (ela e Apolo acabaram substituindo Selene e Hélio como as personificações da Lua e do Sol no imaginário grego) e a Deusa do parto, pois quando ela visitava as cidades para recrutar novas caçadoras também realizava o parto das mulheres (isso ocorria porque, segundo uma versão, Artêmis foi a primeira a deixar o útero da mãe, e então ajudou a mesma a parir seu irmão Apolo), condição está que rendeu a Artêmis o título de protetora das crianças”.
Texto de Autoria de DEMETRIUS SILVA MATOS.

Comentários